RIP André Gondim

RIP André GondimHoje ao ler meu feed  deparei-me com uma triste notícia, a nota de falecimento de André Gondim feita no BR-Linux.org.

Não há quem conheça um pouco de Software Livre no Brasil que não conheça o nome deste grande rapaz, que ajudou a divulgar SL, um dos ícones do Ubuntu no Brasil.

Ele mantinha, entre muitas outras coisas, o blog: http://andregondim.eti.br/ – O qual discutia, dava dicas sobre o sistema operacional a qual escolhi para mim, o Ubuntu Linux. Um blog excelente que e além de me ajudar muito em meu aprendizado com o sistema me manteve disposto a aprender mais e mais sobre o mesmo. Hoje tenho certeza que sou um apaixonado por SL em grande parte pelo trabalho desde que foi um grande homem e referência no SL.

Alguns dias atrás, após sua cirurgia, ele escreveu um post: “sudo aptitude vida nova“.
Transcrevo aqui um trecho do post:

“Lembrem-se para ser doador de órgãos, basta avisar a sua família o seu desejo, pois é ela quem decidirá… Doe,  doe sangue, doe tempo livre, seja doador, seja eterno!!!”

Minhas condolências a seus familiares e amigos. Descanse em paz André Gondim.

Que todos sejamos eternos!

O dia que brinquei de Astro do Rock

Ontem ( 2 de agosto) eu mais 3 corajosos topamos participar de uma promoção da Radio Kiss FM.

É uma promoção de Air Band. E como toda promoção tem seus prêmios, que nesse caso saltou-me aos olhos um teclado.
Encarei o desafio… pulei muro, matei dinossauros e fugi para as colinas para dar nisto aqui:

A edição deu um baita trabalho, mas acho que valeu a pena. Pelo menos tá engraçado.😀
Pago KingKongs para ganhar um teclado… se puderem contribuir assistindo algumas vezes e dando um “like”(gostei) eu agradeceria. Pois para ir para final precisamos de muitas visualizações .

Abraços,

SiS & Ubuntu 11.04

Há um tempo que fiquei de postar a solução que tive para poder usar “decentemente” em meu notebook o Ubuntu 11.04 sem problemas de desempenho, sombras de janelas e tudo mais ocasionado pela “belíssima” placa de vídeo integrada SiS 671 (671 / 672 / 771 / 772).

Sempre que havia um lançamento de uma nova distribuição do Ubuntu, eu que tenho impulso incontrolável de manter-me sempre atualizado, tinha um baita trabalho para fazer minha placa de video funcionar bem. Isso por que a SiS não disponibiliza nenhum driver e/ou suporte para GNU/Linux, por causa de um demoníaco acordo de exclusividade com a Janelas®.

Quando encontrava a uma solução ele nem sempre era satisfatória. Pois os drivers vem sempre de um pessoal abençoado e voluntário que rala para criar um driver para essa placa do mal, quase sempre usando engenharia reversa… o que não deve ser nada fácil.

Enfim, no 11.04 isso ficou um pouco mais fácil e muito melhor. Pois até onde sei, um grupo de indianos que trabalha no driver liberou o código-conte deles, que estava muito bom.
Em posse do código fonte, podemos compilá-lo e funcionará (pelo menos era pra funcionar) perfeitamente, um ótimo suporte 2D e por ser compilado funcionará em na sua arquitetura. Isso mesmo compilando o driver ele funcionará tanto em 32 quanto em 64 bits .

Pois bem, vamos aos passos. Continuar lendo “SiS & Ubuntu 11.04”

Yakuake – Elegante e prático

Seguindo minha sequência de postagem, uma na vida outra na morte, estou aqui para falar do Yakuake. Faz um tempo que estava querendo falar dele (quase um ano), quando o conheci, então vamos lá:

O Yakuake que um Terminal nativo do KDE. É a continuação do Kuake, um projeto que foi encerrado em 2004

Janela do terminal Yakuake
Janela do Terminal Yakuake

O diferencial do Yakuake é que depois de aberto ao usar uma tecla de atalho (que por padrão é F12) ele desliza pela tela de cima para baixo e quando acionado novamente a tecla de atalho ele desliza para cima. É um efeito semelhante com terminais de jogos como Urban Terror, Quake e afins.

O visual, que dá um toque fino para ao Yakuake, é bem personalizável, você pode escolher o tempo de rolagem, cores, transparências, fundos. Aliás essa é uma das principais diferenças com o Guake, um terminal semelhante mas nativo do GNOME.
E não é só de beleza que vive esse programa.  Ele também inclui navegação por abas, criação de perfis, divisão da janela horizontal e vertical e diversas outros.

A praticidade desse terminal esta, também, no fato do mesmo ficar carregado você pode oculta-lo no meio de um tarefa e continuar a fazer o que precisa, sem perder o foco, enquanto ele aguarda de onde parou, com suas tarefas abertas/executando ou um comando/texto por digitar

Instalação – Ubuntu: Continuar lendo “Yakuake – Elegante e prático”

Compilando Kernel 2.6.38 com Ubuntu 10.10

Com o recente lançamento do Kernel Linux 2.6.38,  que inclui o famoso patch maravilha (melhoria de desempenho em 60x !?) e muitas outras melhorias (7600?), resolvi escrever o procedimento para a compilação deste kernel utilizando o Ubuntu 10.10. E como quase tudo no Ubuntu é muito simples, a compilação do kernel também não será diferente.

Então mãos a obra.

Primeiramente é preciso baixar o Kernel, e isso pode ser feito aqui http://www.kernel.org

Depois abra o terminal ( ALT+F2 ) e para entrar como root digite:

# sudo su

Vamos precisar de alguns pacotes para compilação do kernel e para visualição gráfica do menu de configurações (em Qt)
Para instala-los:

# apt-get install build-essential bin86 kernel-package libqt3-headers libqt3-mt-dev qt3-dev-tools

Agora vá a pasta onde baixou o source do kernel, que no meu caso é a pasta Downloads:

# cd Downloads/

Mova-o para /usr/src, para isso digite:

# cp linux-2.6.38.tar.bz2 /usr/src

Acesse essa mesma pasta:

# cd /usr/src

e descompacte o arquivo:

# tar jxvf linux-2.6.38.tar.bz2

depois entre na pasta criada:

# cd linux-2.6.38

Vamos importar configurações do kernel que esta utilizando para configurar o que iremos compilar

# cp /boot/config-`uname -r` .config
Obs.: A intenção aqui é que o comando fique parecido com isso “sudo cp /boot/config-2.6.35-28-generic .config“, onde o número da versão será a que você estiver usando no momento.

Abra o menu de configurações do Kernel.
Obs.: Se você não entender muito bem no que está mexendo, sugiro que não mexa, pelo menos não muito🙂

# make xconfig

Se esse comando não abrir uma janela, pode estar faltando algum pacote para rodar o Qt3, mas não se preocupe, você pode abrir o menu de configuração direto pelo terminal com o comando:

# make menuconfig

Em “Processor type and features” -> “Processor family” escolha o modelo do seu processador.

Em “Kernel hacking” desmarque a opção “Kernel debugging”

Podemos ainda pelo menu de configurações do kernel, desmarcar vários tipos de suporte relacionados ao hardware que seu pc tenha ou não tenha. Se não tiver, seria bom desativar, mas não é algo necessário.

Após salvas as modificações, basta fechar o menu.

Agora compilaremos o kernel, e esse passo vai demorar, dependendo do pc pode demorar muito (várias horas!).

# make

Após a compilação é preciso instalá-lo, para isso:

# make modules_install

e depois:

# make install

Agora para o sistema iniciar com o novo kernel precisamos criar um initrd:

# update-initramfs -k 2.6.38 -u

Atualize o grub:

# update-grub

Pronto agora é só reiniciar (comando reboot) que o novo kernel aparecerá na lista de inicialização do Grub.

Com o sistema inicializado, para verificar a versão do kernel basta ir ao terminal e digitar:

# uname -a

Que no meu caso retornou “Linux brenno-laptop 2.6.38 #1 SMP Wed Mar 16 16:00:12 BRT 2011 x86_64 GNU/Linux

Pronto, kernel novinho instalado!

Tutorial: Fazendo imagens 3D (anáglifo)

Este é o primeiro post no meu novo antigo primeiro blog, que agora está reformulado e parece que terá destino certo.🙂

Hoje quero ensinar à vocês como fazer imagens 3D por meio de estereoscopia.
Uma imagem estereoscópica, também conhecida como anáglifo, é composta pela sobreposição de duas imagens, capturadas de pontos ligeiramente diferentes (paralaxe). Assim cada imagem será filtrada por meio de óculos especiais criando a impressão de ser 3D.

O tutorial foi feito no Ubuntu, usando o Gimp 2.7.2 e duas imagens (esquerda e direita).

Vamos lá. Continuar lendo “Tutorial: Fazendo imagens 3D (anáglifo)”